Ensino Superior
Alunos do AEB conseguem entrar nos cursos desejados
Março/2017 | Carolina Carreira, Catarina Miguel, Maria Morgado 12.º A; Joana Bagagem 12.° B

 

A cada ano que passa, a esmagadora maioria dos alunos do 12.º ano começa uma nova fase da sua vida, nomeadamente a continuação dos estudos numa universidade.



É o caso de Carolina Graça, de 18 anos, que estuda medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Bryan Carvalho, com a mesma idade, que estuda teatro na Middlesex University, Inglaterra, e de David Gomes, de 18 anos, que estuda ciência política, no ISCTE-IUL.



Estes alunos levam da Escola Secundária da Batalha a experiência da exigência, o perfecionismo, a união e a amizade. Mas nem tudo são aspetos positivos, refere David Gomes, destacando a falta de certas condições e a “necessidade que alguns alunos sentem de mudar de escola para melhorar as notas”.



As qualidades da escola levaram os alunos a ter boas notas, mesmo quando o percurso escolar não se mostrou linear e quando apareciam adversidades.



“O principal era nunca desistir”, afirma Carolina Graça, que seguiu medicina pois queria fazer algo notório e prestável pela sociedade.



Quanto à adpatação aos novos ambientes escolares, até porque entraram nos cursos a que se tinham proposto, as expetativas foram superadas.



A adaptação foi fácil, mesmo no âmbito das praxes e pela facilidade em fazer novos amigos.



Para Bryan Carvalho, a adaptação deu-se naturalmente, sobretudo depois de ultrapassar a barreira do sotaque britânico.



“Depois de pesquisar e de ler muita informação, acreditei que podia ir para o estrangeiro seguir o meu sonho onde tinha mais oportunidades”, disse.

Apesar das saudades da família, o facto de estar a viver a aventura por si e para si dá-lhe força para continuar a lutar pelo seu futuro.